Cifra Club

Poema do Mate da Saudade Longa

Ênio Medeiros

Ainda não temos a cifra desta música.

Os passarinhos cantam revoando o terreiro,
Escalando o limoeiro da horta dos fundos
As galinhas ciscando o pátio varrido
E um milho esquecido que estava sobrando
O sol embaçado blaceia a saudade
Do fogo que arde à chaleira que chia
A tarde é curiosa, um cachorro que late,
Me aflora, me indaga, na hora do mate
A tarde é curiosa, um cachorro que late,
Me aflora, me indaga, na hora do mate

O mate que me ensinaste,
Assim, na conha da mão,
Dói no meu coração em cada hora que faço,
Como um ato banal pra ti,
Não queria ter aprendido,
Preferia o meu mate
Amargo, sem graça e entupido;
A cuia bordada atento e a bomba é a mesma também,
Se procurar ainda tem o digital dos teus dedos,
Só falta é repor a erva pra não matear mais sozinho,
E chiando, a chaleira chora a falta dos teus carinhos.

Colaboración y revision:
  • Janer Sousa

0 comentarios

Ver todos os comentários
00:00 / 00:00
outros vídeos desta música
repetir qualidade Automático
Outros vídeos desta música
00:00 / 00:00
Automático
OK